Vídeos da Casa do Crescer

Loading...

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

CURSO DE ORIENTAÇÃO PARA GESTANTES

Pensando em apoiar e orientar gestantes, seus parceiros e familiares a Casa do Crescer oferece um curso bem bacana de Orientação ao Parto, Pós-parto e de Cuidados com o bebê e Amamentação.
O curso visa a preparação emocional e física das gestantes, seus parceiros e familiares e tem como objetivo a orientação sobre as transformações que ocorrem durante a gestação, o parto, pós-parto, aconselhamento em amamentação e sobre os cuidados com o bebê, favorecendo uma vivência tranqüila e consciente da gravidez.
PROGRAMA DO CURSO AQUI

São realizados de forma leve e objetiva com recursos de filmes, imagens e objetos;
São realizados em módulos de acordo com a necessidade do casal;
Oferecemos dicas de livros, textos e vídeos referentes ao tema;
São realizados em grupo ou individual;
São realizados na Casa do Crescer ou em domicílio.


INFORMAÇÕES E CONTATO: clarissa@casadocrescer.com.br
http://casadocrescer.blogspot.com
TELEFONES: 11-30322914 / 11-78898996

Clarissa N. Cunha Mello
Fonoaudióloga e Educadora Perinatal

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

ATIVIDADES QUE OFERECEMOS

    A Casa do Crescer é um Espaço Materno Infantil que oferece apoio e orientação para a mulher, gestante, mãe e para sua família.
    FONOAUDIOLOGIAVisa uma atuação preventiva e educativa em relação à saúde materno-fetal e infantil com informações e orientações sobre a importância da amamentação, desenvolvimento da fala, linguagem, desenvolvimento motor, audição, voz, leitura e escrita. Além de alertar sobre o uso de chupetas e mamadeiras sinalizando seus malefícios, buscando-se a promoção da saúde e um bom desenvolvimento infantil.
    => Realizamos encontros, cursos e oficinas para grávidas, mães, casais, familiares, babás e profissionais de Educação Infantil com o intuito de orientar e informar sobre desenvolvimento infantil.
  • PSICOMOTRICIDADEAtividades direcionadas à criança de 02 à 06 anos, com o objetivo de favorecer, de forma lúdica, o desenvolvimento de habilidades e competências cognitivas, sociais, emocionais, motoras, assim como o desenvolvimento da fala e da linguagem.
=> Orientações aos pais sobre o bom desenvolvimento motor por meio de oficinas e workshops.
  • ORIENTAÇÃO PERINATALDestinada às grávidas, seus parceiros e familiares visando a preparação emocional e física para a gravidez, o parto e maternidade/paternidade.  Oferecemos orientações e informações sobre a gestação, parto, pós-parto, aconselhamento em amamentação e sobre os cuidados com o bebê, favorecendo assim, uma vivência tranqüila e consciente da gravidez.
A Orientação Perinatal ajuda o casal a:
• Viver a gravidez e o parto como eventos fisiológicos e não como doença;
• Controlar a ansiedade e diminuir os temores com informações pertinentes;
• Esclarecer as dúvidas;
• Aumentar a segurança física e emocional;
 
• Aumentar a auto-confiança para o parto e em relação a criação do bebê.
=> Oferecemos oficinas e cursos para grávidas e seus parceiros com o intuito de prepará-los para viver a gestação, o parto e o pós-parto de maneira natural, informada e consciente.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

TESTE DA ORELHINHA TORNA-SE OBRIGATÓRIO

O teste da orelhinha agora é lei. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a Lei nº 12.303, de 2 de agosto de 2010, que torna obrigatória a realização do exame denominado Emissões Otoacústicas Evocadas. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União do dia 3 de agosto, seção 1, página 1.

Segundo a lei, agora todos os hospitais e maternidades devem realizar o teste gratuitamente nas crianças nascidas em suas dependências. A triagem auditiva neonatal universal por meio do teste da orelhinha é capaz de detectar deficiências auditivas desde o nascimento, possibilitando o diagnóstico e o tratamento precoce de eventuais problemas. Como é sabido, há tratamentos de extrema importância, como o implante coclear, que só têm bom resultado ou são possíveis quando iniciados na primeira infância.
A conquista é um marco para a saúde auditiva brasileira. Parabéns aos fonoaudiólogos e a todos os setores da sociedade que intervieram para alcançarmos este resultado!

Quando deve ser feito?

Orienta-se realizar o teste da orelhinha, nos primeiros anos de vida do bebê (3 meses), detectando perdas precoces que possam influenciar no aprendizado da linguagem. Geralmente o exame é realizado no berçário em sono natural, de preferência no 2º ou 3º dia de vida. O tempo de duração varia entre 5 e 10 minutos, não tem qualquer contra-indicação, não acorda nem incomoda o bebê. Não exige nenhum tipo de intervenção invasiva (uso de agulhas ou qualquer objeto perfurante) e é absolutamente inócuo. A triagem auditiva é feita inicialmente através do exame de Emissões acústicas evocadas (código 51.01.039-9 AMB).
Fonte: Conselho Federal de Fonoaudiologia

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

ESTUDO CONFIRMA BENEFÍCIOS DA AMAMENTAÇÃO EXCLUSIVA CONTRA INFECÇÕES

"Bebês alimentados exclusivamente com o leite materno nos primeiros quatro meses de vida - e que continuam sendo amamentados por alguns meses após esse período, mesmo com a inclusão de outros alimentos - têm menor risco de infecções respiratórias e gastrointestinais, segundo estudo que será publicado na edição de julho da revista médica Pediatrics. E, de acordo com os especialistas, seis meses de amamentação exclusiva é ainda melhor.

Avaliando mais de 4 mil mães, os pesquisadores observaram que apenas 1,4% dos bebês haviam sido alimentados exclusivamente pelo leite materno até os seis meses de idade. E esses bebês apresentavam, significativamente, menores riscos de infecções no trato respiratório inferior e superior e no trato gastrointestinal. Aqueles amamentados exclusivamente por quatro meses também apresentaram bons resultados nesse sentido, mas em menor escala.

“O aleitamento materno exclusivo até a idade de quatro meses e parcialmente após esse período foi associado a uma significativa redução da morbidade respiratória e gastrointestinal em bebês”, escreveram os autores na publicação. De acordo com os especialistas esses resultados são muito importantes, visto que essas infecções são as principais causas de doenças nas crianças. E isso está em consonância com as recomendações da Organização Mundial da Saúde. “Nossas descobertas apoiam estratégias de políticas em saúde para promover a amamentação exclusiva por pelo menos quatro meses, mas, preferencialmente, por seis meses em países industrializados”, destacaram."

Fonte: Pediatrics. Edição prévia de julho de 2010

SEMANA MUNDIAL DE ALEITAMENTO MATERNO 2010

Durante a semana de 01 a 07 de agosto de 2010 comemoramos a Semana Mundial de Aleitamento Materno - "Por um mundo amigo da criança, 10 passos que valem a pena".

Dicas para o início da amamentação

01 - Muita calma, no início existe uma adaptação e o tempo de ambos, mãe e bebê, devem ser respeitados.  

02 - Jamais dê complemento (leite em pó maternizado tipo NAN, Nestogeno, etc) a não ser em casos muito graves. O complemento não chega nem perto do leite materno, vai matar a fome do bebê e ele não vai querer mamar no peito o colostro, rico em anticorpos, importantíssimo para o bebê. É como uma vacina natural. O colostro é o que sai do seio antes da descida do leite, são algumas gotinhas amareladas que o bebê ingere.  


03 - O leite pode demorar de 4 a 7 dias para "descer". Até lá, não há problema o bebê só tomar o colostro. Ele nasce com muitas reservas de gordura e aguenta essa fase.  


04 - Normalmente os bebês perdem até 10% do seu peso, após o nascimento, recuperando em até 14 dias em média.
05 - Não existe leite materno fraco.

06 - Procure amamentar num lugar calmo e curta esse momento com o seu filho.


07 - Existem várias posições para amamentar. Sentada, coloque o bebê virado para você, com a barriga encostada na sua, de forma que ele não precise virar a cabeça para mamar. Tenha um apoio para colocar o braço e aparar a cabeça do bebê. Amamentar deitada também é uma boa pedida. Vc deita de lado e o bebê também de lado, um olhando para o outro, e coloca ele pra mamar. Enquanto isso, você pode descansar.


11 - A maioria das mães tem o bico do peito "plano", sem o bico muito avantajado. O bebê é que fará esse bico, ao longo do tempo, durante as mamadas. A mãe pode estimular o bico para que ele fique saliente antes da mamada.  

12 - O fato do seio da mãe não encher de leite e nem vazar entre as mamadas NÃO quer dizer que a mãe produza pouco leite.  


13 - O fato do bebê querer mamar toda hora também NÃO quer dizer que a mãe produza pouco leite. Observe se o bebê chora mesmo por fome. Geralmente o bebê que ficar no seio para dormir ou para se aconchegar e não é fome. Aos poucos você vai perceber o que significa cada choro.  


14 - A maior quantidade de leite que o bebê mama é o que "desce" na hora da mamada e não o que está "armazenado" o seio. Nem todos os seios enchem ou vazam entre as mamadas. Se o seu seio não enche, não vaza, não espirra, não se preocupe. Isso não quer dizer nada. Se ao retirar o leite manualmente ou com a bombinha, você consegue retirar pouco leite, isso também não quer dizer nada. A bombinha só tira o leite que está armazenado na hora.  


15 - Evite dar mamadeira ao seu filho. Se for necessário dar o seu próprio leite, dê no copinho descartável. A mamadeira tem um bico muito diferente do bico do seio e o bebê ainda não sabe diferenciar os bicos, ficando confuso e fazendo uma pega errada no seio, podendo machucar e até ocasionar um desmame precoce, pois o leite sai da mamadeira com muito mais facilidade, levando geralmente o bebê a preferir a mamadeira. 

16 - Bebê amamentando exclusivamente ao seio, não precisa tomar água e nem chá. 

17 - É recomendada a amamentação exclusiva no seio até os 6 meses de idade e até os 2 anos, complementando.  

18 - Se o bebê ganha peso, e molha as fraldas de 4 a 6 vezes por dia, não há pq se preocupar. Ele está mamando suficientemente.
 21 - Após as mamadas, sempre passe o próprio leite do seio e deixe secar naturalmente. Se possível exponha os seios ao sol. O leite é bactericida e cicatrizante e evitará as famosas rachaduras.
19 - Observe bastante a "pega" do bebê. O bebê deve estar com a boca bem aberta, abocanhando a maior parte do seio, quase toda a auréola. A língua do bebê fica em volta do seio em forma de cálice. O bebê não faz barulho durante as mamadas e nem encova as bochechas. Se o bebê não faz uma pega boa, ou mama só o biquinho do peito, sai pouco leite e não estimula a produção, além de provocar rachaduras nos seios.

20 - Quanto mais o bebê mama, mais leite a mãe produz. Quanto menos mamar, menos a mãe produzirá.



22 - Deixe o bebê mamar o tempo que ele quiser, na hora em que sentir fome. Não estipule regras e nem horários. Deixe que o bebê faça isso. Naturalmente ele entrará no ritmo dele. Adote a livre demanda. A livre demanda não significa que o bebê deve ficar o tempo todo no seio, e sim, que a mãe deve amamentá-lo quando sentir fome. Como no início é difícil de saber se o motivo é fome, as mães em geral oferecem o seio. Os bebês gostam de mamar e normalmente aceitam a hora que for, causando uma falsa impressão de fome. Às vezes seu filho só quer ficar junto de você.

23 - Se o bebê dorme muito ou dorme mamando, estimule ele fazendo cosquinhas nos pés ou massageando as bochechas para que ele volte a mamar.  


24 - Evite tomar refrigerante, chocolate e bebidas alcólicas amamentando. Essas substâncias passam para o leite podendo causar cólicas no bebê.

25 - O leite materno, além de ser o melhor alimento, ainda possui anticorpos que protegem o bebê. A composição do leite materno muda a medida que o bebê cresce. A mãe produz o leite próprio para o seu filho. Todas as mães, com raras exceções, tem condições de amamentar. Não dê ouvidos aos palpiteiros. Você conhece o seu filho mais do que ninguém.


26 - Ao amamentar, mentalize o leite saindo do seu seio. Isso ajuda bastante!

27 - Confie em você e nos seus peitos ! Tenha auto-estima, determinação e coragem!!

08 - Beba bastante água, quanto mais hidratada a mãe, mais leite produzirá. Crie um hábito de sempre tomar água, suco ou alguma bebida refrescante durante as mamadas.


09 - Procure descansar sempre que possível, para repor as energias. A amamentação queima muitas calorias.

10 - Após a mamada, se o bebê dormir, coloque-o no berço de lado, para evitar que regurgite e se engasgue.